fbpx

5 fatores diretamente relacionados à imunidade

5 fatores diretamente relacionados à imunidade

A nossa imunidade é a barreira de defesa contra organismos patógenos e também endógenos que podem afetar o corpo humano.

O seu funcionamento pode ser comparado a um exército particular, composto por soldados que auxiliam no combate aos invasores que adentram o organismo.

Para que o sistema imune funcione, seus diferentes mecanismos, compostos pela barreira da pele, células na corrente sanguínea e anticorpos precisam ser ativados e fortalecidos.

Nesse sentido, viver rodeado de estresse, má alimentação, falta de sono e outros hábitos negativos para a saúde pode comprometer esse importante sistema.

Neste artigo, listamos 5 fatores diretamente relacionados com a imunidade comprovados cientificamente. 

Siga a leitura e saiba mais. 

Qual o papel do sistema imunológico?

Em primeiro lugar, é muito importante que tenhamos a compreensão sobre o papel do sistema imune.

De acordo com a ciência, o sistema imunológico é a proteção do corpo contra invasores patógenos e endógenos que podem prejudicar a saúde e qualidade de vida de um indivíduo.

Sem a imunidade, não seria possível combater todos os vírus, bactérias e componentes tóxicos que atacam o corpo humano diariamente.

Entre as principais tarefas do sistema imunológico do corpo estão:

  • Combate a germes patógenos, como bactérias, vírus, parasitas ou fungos;
  • Reconhecimento  e neutralização de substâncias nocivas;
  • Combate a alterações que possam ocasionar o desenvolvimento de patologias nocivas à saúde do indivíduo.

Para que a imunidade seja ativada, os antígenos se ligam a receptores especiais das células imunológicas, o que ocasiona uma série de processos do organismo para que sejam coletadas informações a respeito dessa ameaça, bem como as maneiras de combatê-lo e eliminá-lo do corpo.

Além disso, o sistema imunológico possui a capacidade de armazenar as informações para que, caso o mesmo vírus ou bactéria atacá-lo novamente, o corpo já esteja preparado para lidar com a ameaça de maneira mais ágil e eficaz.

Contudo, para que a imunidade seja ativada com sucesso, são necessários cuidados relacionados à saúde e hábitos relacionados ao estilo de vida do indivíduo. Continue a leitura e compreenda os fatores relacionados com a imunidade.

Fator #1 – A saúde do intestino e a imunidade

Cerca de 70% do sistema imunológico concentra-se no intestino. É o que revela uma publicação realizada no Journal of Translational Immunology.

Conforme indicado pelos pesquisadores, entre os fatores que destacam a importância do sistema gastrointestinal encontra-se a elevada quantidade de células imunológicas que residem dentro dele.

Além disso, a microbiota intestinal e a sua composição podem variar de acordo com os hábitos adotados por cada pessoa de maneira individual, ou seja, a saúde do intestino, bem como a imunidade de um indivíduo, estão intimamente ligadas a seus hábitos alimentares e outros fatores relacionados ao estilo de vida.

De acordo com a literatura científica, inúmeros fatores são capazes de influenciar a composição da flora intestinal, Alguns deles são a dieta, a idade, o consumo de medicamentos, a exposição à doenças, o nível de gerenciamento de estresse e, consequentemente, o estilo de vida.

Por fim, é possível definir que a disbiose intestinal como um fator nocivo e agravante para a saúde do indivíduo em geral.

Fator #2 – O funcionamento do sistema pituitário

A hipófise representa um papel essencial na regulação do crescimento, diferenciação e também função celular de todo o corpo humano.

Além disso, esse sistema é responsável pelo controle sobre os imunócitos ou linfócitos, responsáveis pela geração de reações imunológicas contra ataques antígenos e endógenos.

De acordo com a literatura, os hormônios secretados ou regulados pelo sistema pituitário são responsáveis pela regulação dos níveis de atividade imunológica através da ativação dos linfócitos para garantir as respostas a estímulos inflamatórios e imunológicos, bem como a transdução de sinal, ativação de genes, produção e atividade de citocinas e outras funções relacionadas a imunidade.

Fator #3 – O cortisol e o seu papel no sistema imunológico

Ao ser liberado na corrente sanguínea, o cortisol trabalha para responder ao estresse e aos perigos pelos quais determinado indivíduo está passando.

Além disso, ele também é responsável por aumentar o metabolismo de glicose no corpo, controlar a pressão arterial, reduzir a inflamação, regular o humor, além de fortalecer a musculatura do coração e auxiliar na manutenção do sistema imunológico.

Mesmo que o cortisol seja considerado um anti-inflamatório que possui resposta imunológica, níveis elevados desse elemento no organismo podem acarretar na resistência da imunidade.

Esse evento ocorre a partir de sua condição crônica, que é conhecida com a Inflamação Crônica Subclínica.

Portanto, segundo estudo, o acúmulo de cortisol no organismo  acarreta no aumento da produção de citocinas inflamatórias, o que impossibilita o pleno funcionamento do sistema imunológico.

Fator #4 – Negligenciar o poder do Hormônio D pode afetar a imunidade

Inúmeros estudos relacionam o enfraquecimento da imunidade à insuficiência de exposição ao sol e, consequentemente, a menor absorção de Hormônio D.

De acordo com um ensaio clínico realizado em crianças japonesas, a presença de Hormônio D no organismo é considerada uma ferramenta para o combate a resfriados e gripes, por exemplo.

Contudo, evidências obtidas através de um estudo alemão, comprovam que somente a exposição ao sol não é o bastante para que o corpo absorva níveis de Vitamina D suficientes para que se obtenha o pró-hormônio.

A partir dos resultados obtidos através da coleta de testes sanguíneos de 1.343 indivíduos, entre 20 e 99 anos, com taxas preocupantes de insuficiência de Vitamina D, os pesquisadores optaram por definir a ingestão diária ideal de vitamina D de até 10 vezes mais elevada do que a indicada pelas diretrizes do país.

Nesse sentido, para que o hormônio D trabalhe em prol da imunidade, é necessária a análise e indicação de terapias de reposição hormonal relacionadas a este componente.

Fator #5 – Estilo de vida saudável pode ser a chave para a imunidade

A partir das informações dispostas até aqui, é possível perceber o importante papel que  estilo de vida saudável possui para a manutenção de importantes órgãos e sistemas do corpo humano.

Além disso, é importante reiterar que todos os sistemas e suas funções estão interligados, o que estreita ainda mais a relação entre a imunidade, o estilo de vida e a saúde de cada indivíduo.

Mesmo que tratamentos e medicamentos sejam úteis e eficazes, não existe terapia que substitua o papel fundamental que o estilo de vida saudável desempenha na manutenção da imunidade.

Nesse sentido, incentivar a adoção de hábitos positivos à saúde, bem como a consulta regular a um profissional médico, torna-se uma conduta indispensável para que se obtenham resultados benéficos e em prol de uma longevidade mais saudável para todos.